Rochom P’ngieng foi encontrada em 2007, aos 29 anos de idade, depois de ter vivido 19 anos em companhia dos animais da selva cambojana. Ela foi encontrada na província de Ratanakiri e reconhecida por seu pai por causa de uma cicatriz em suas costas. O pai, um policial chamado Ksor Lu Long, diz que ela se perdeu na floresta enquanto tocava um rebanho de búfalos com sua irmã de seis anos (que também desapareceu, mas nunca foi encontrada). Em sua readaptação, notou-se que ela só sabia falar três palavras: “pai”, “mãe” e “dor de barriga”. Rochom preferia rastejar a caminhar em posição ereta, quando sentia fome ou sede apontava para a boca e tinha que ser vigiada o tempo todo para não fugir de volta para a floresta. Em maio de 2010, ela conseguiu escapar e nunca mais voltou